DIG de Catanduva esclarece homicídio no Jardim Gaviolli e prende dois suspeitos

O delegado Hélvio Roberto Bolzani após investigação,
solicitou as prisões temporárias dos suspeitos
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) esclareceu o homicídio da vítima E.M.B., de 38 anos, ocorrido no dia 8 de julho de 2017, por volta das 20h30, na avenida Maranguape no bairro Jardim Gaviolli, em Catanduva. Dois homens suspeitos foram presos na manhã desta sexta-feira (27).

Segundo o delegado titular da DIG, Hélvio Roberto Bolzani, na ocasião a vítima foi espancada até a morte por dois homens que chegaram ao local em uma motocicleta. A viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamada, mas o óbito foi constatado no próprio local, tendo a vítima sofrido múltiplas fraturas.

A investigação policial identificou uma testemunha, a qual teve a sua identidade protegida e através dela, se chegou à identificação dos autores, sendo M.C.P.F., de 28 anos e D.J.M.J., de 19.

“O motivo do crime estaria ligado ao tráfico de drogas, tendo em vista que a vítima era usuária e os investigados suspeitos de praticarem o tráfico naquela localidade. Assim, solicitei a decretação das prisões temporárias dos suspeitos, que foram presos nesta sexta-feira e encaminhados à cadeia pública de Catanduva”, disse Bolzani.

As prisões foram decretadas pelo período de 30 dias, renováveis por mais 30 a critério da investigação ou convertidas em prisões preventivas, quando os investigados permanecerão presos até o julgamento. Os dois suspeitos são conhecidos da polícia, registrando várias passagens criminais.

Relembre o Caso

O morador do bairro Jardim Gavioli, E.M.B., foi assassinado em sua residência localizada na avenida Maranguape, na noite de sábado (08), em Catanduva.

Segundo o Plantão Policial, por volta das 20h30, a equipe da Polícia Civil compareceu na residência da vítima, onde o corpo foi encontrado caído na entrada da casa com lesão no rosto e na parte superior da cabeça. A equipe do SAMU esteve no local, tentou reanimar a vítima, mas o homem não resistiu aos ferimentos e morreu.

Na ocasião, a Polícia Militar apurou no local que uma testemunha teria presenciado a vítima entrar correndo na casa e logo cair no chão. Por outro lado, em contato com a irmã da vítima foi verificado que E.M.B. era viciado em drogas.

A Polícia Técnica também esteve no local do crime onde o corpo e o imóvel foram periciados. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para passar por exame necroscópico e posteriormente ser liberado para os familiares. O caso foi registrou como homicídio.

Por Marcelo Ono

Foto: Alta Tensão

OBS.: NÃO autorizamos a reprodução ou cópia da notícia.

Compartilhe no Google Plus

    Blogger Comment
    Facebook Comment