Polícia Civil de Pindorama prende acusado de latrocínio

O suspeito foi preso em uma fazenda entre as cidades
de Taiaçu e Jaboticabal
O suspeito A.V., de 32 anos foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e por ser o principal suspeito do crime de latrocínio (roubo seguido de morte) contra o pedreiro Luiz Carlos dos Santos, de 66 anos, encontrado na tarde de quarta-feira (11), na residência onde morava, em Pindorama. A prisão aconteceu na tarde de segunda-feira (23), entre as cidades de Taiaçu e Jaboticabal.

Segundo o delegado Márcio Acácio Seguesse, após o encontro do cadáver na residência localizada na rua João Pessoa no Centro e o desaparecimento do rapaz que residia com a vítima, os policiais civis passaram a investigar o principal suspeito.

“Depois de uma semana de serviço de inteligência e de campo, conseguimos apurar que o rapaz estava escondido em uma fazenda na zona rural, entre as cidades de Taiaçu e Jaboticabal”, disse o delegado.

Na tarde de segunda-feira, os policiais civis montaram uma força tarefa e se deslocaram para a fazenda. A residência foi cercada e invadida, sendo o acusado preso em flagrante na posse de um revólver calibre 38 municiado.

“Num primeiro momento, o acusado não ofereceu resistência, mas afirmou que o revólver seria usado contra os policiais e depois ele iria se suicidar porque não queria ser preso. O rapaz só não atirou porque não percebeu a ação dos policiais. Ele foi preso de surpresa”, comenta Seguesse.

Durante os questionamentos, o suspeito confessou o crime e afirmou que antes de chegar nessa fazenda, passou por várias cidades na tentativa de se esconder da polícia.

“O acusado afirmou que no dia dos fatos, a vítima teria entrado na casa embriagado e passou a acusa-lo de ter roubado parte do dinheiro de sua aposentadoria. Enquanto discutiam, o suspeito afirmou que pegou a ferramenta, um ‘eixo de esmeril’ e bateu contra a cabeça da vítima, que caiu na cama. Em seguida, percebendo que a vítima ainda apresentava movimentos, bateu pela segunda vez na cabeça do pedreiro. O autor do crime colocou um cobertor sobre o corpo da vítima e ficou no local por três horas, até pegar a motocicleta do pedreiro e fugir”, explica o delegado.

Na delegacia foi apurado que o acusado possui passagem por tentativa de homicídio ocorrido na cidade de Tabapuã e que já cumpriu pena no sistema penitenciário.

“O autor do latrocínio é uma pessoa fria, que não demonstra arrependimento. Ele teve a prisão temporária decretada, mas agora será representado para a prisão preventiva. Além de responder pelo crime de latrocínio, com pena de reclusão de 20 a 30 anos, também responderá pela posse ilegal de arma de fogo. Quero parabenizar os policiais civis pela dedicação e rapidez na elucidação do crime”, finalizou Seguesse.

As investigações sobre o caso continuam. A motocicleta roubada ainda não foi recuperada.

Relembre o Caso

O corpo do pedreiro Luiz Carlos dos Santos, de 66 anos, foi encontrado na tarde de quarta-feira (11), na residência onde morava.

Na ocasião, segundo o boletim de ocorrência, por volta das 17h30, a equipe da Polícia Civil compareceu no imóvel, onde foi apurado que a ex esposa de Luiz, desde a terça-feira não conseguia falar com a vítima, verificando que a sua motocicleta Dafra/Apache, vermelha, também não estava no imóvel.
Um revólver e várias munições foram apreendidos pelos
políciais civis

A mulher, na companhia de sua filha, retornou ao local na quarta-feira, onde do lado externo da residência, sentiu um mau cheiro vindo do interior da casa. Ao abrir a janela do quarto, mãe e filha se depararam com o corpo da vítima, deitado na cama.

Com a chegada da polícia foi apurado que o corpo apresentava ferimentos na cabeça provocados por uma ferramenta. No local, além da motocicleta da vítima, também não foi encontrado o dinheiro da sua aposentadoria sacado na segunda-feira.

A Polícia Técnica compareceu no local e após o trabalho da perícia, o corpo do pedreiro foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para passar por exame necroscópico e posteriormente ser liberado para os familiares.

Por Marcelo Ono

Fotos: Polícia Civil

Compartilhe no Google Plus

    Blogger Comment
    Facebook Comment